11/07/2013

BRASIL: Nesta quinta, as ruas serão da classe trabalhadora

São Paulo, 10/07/13.- A classe trabalhadora brasileira vai às ruas nesta quinta-feira (11) reafirmar a sua disposição em lutar por suas reivindicações e por um Brasil melhor e mais justo para todos e todas.

Atendendo a convocação da CUT Nacional e demais centrais, em conjunto com os movimentos sociais, trabalhadores (as) de norte a sul do país estão organizando uma série de atividades – entre paralisações, atos públicos e passeatas – para marcar o Dia Nacional de Lutas.

Metalúrgicos e metalúrgicos estão nessa jornada e, junto com as demais categorias, estarão nas ruas em defesa da pauta da classe trabalhadora, participando da programação elaborada pelas regionais e estaduais da CUT, pelos sindicatos e federações cutistas.

A pauta única das Centrais Sindicais tem nove reivindicações: Redução da Jornada de Trabalho para 40h semanais, sem redução de salários; Fim do fator previdenciário; 10% do PIB para a Educação; 10% do Orçamento da União para a Saúde; Transporte público e de qualidade; Valorização das Aposentadorias; Reforma Agrária; Suspensão dos Leilões de Petróleo; Contra o PL 4.330, sobre Terceirização.

A elas, foram somadas as propostas dos movimentos sociais: Reforma política e realização de plebiscito popular (também reivindicação da CUT); Reforma urbana; Democratização dos meios de comunicação; Pelos Direitos Humanos, contra o genocídio da juventude negra e dos povos indígenas; contra a repressão e a criminalização das lutas e dos movimentos sociais; contra a aprovação do Estatuto do Nascituro; Pela punição dos torturadores da ditadura.

11 de Julho: o Paraná vai parar! Dia Nacional de Lutas, com paralisações e manifestações

Em assembleia,metroviários de SP indicam paralisação no dia 11
 Dia 11 de julho o Paraná vai parar. Dirigentes da UGT e das outras centrais sindicais estiveram reunidos na manhã dessa terça-feira, 9 de julho, em Curitiba, acertando detalhes para as paralisações na quinta-feira, dia 11 de julho – Dia Nacional de Lutas, com Paralisações.

As centrais sindicais acertaram os detalhes para o Dia Nacional de Lutas, com Paralisações e Manifestações

Além de uma grande concentração em Curitiba, reunindo os trabalhadores na Praça Rui Barbosa, a partir das 16 horas, estão previstas manifestações em Londrina, Maringá, Cascavel, Foz do Iguaçu, Ponta Grossa, Paranaguá e outras cidades paranaenses.

“O Paraná vai parar de fato, e os trabalhadores estarão nas ruas, mostrando a insatisfação pelas políticas públicas para a saúde, educação, segurança pública, geração de emprego, transporte público e segurança”, diz a secretária geral da UGT-PARANÁ, Iara Freire.

O presidente da UGT-PARANÁ, Paulo Rossi, destacou que a central está organizada em quatro regionais no Paraná: Norte, Noroeste, Oeste e Litoral, além da sede em Curitiba. “Em todas essas cidades os sindicatos das mais diversas categorias filiadas à UGT têm o indicativo de paralisar as atividades e promover grandes encontros de cidadania”, diz Rossi.

As centrais sindicais têm uma agenda nacional de lutas e agregaram mais quatro bandeiras regionais: 1) a revisão dos contratos das concessionárias rodoviárias com a criação da CPI do pedágio; 2) novo sistema para a eleição dos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado; 3)política permanente de reajuste do Piso Mínimo Regional; e 4) Regulamentação da profissão de motorista.

Nacionalmente a agenda sindical contempla a luta pela redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais – sem redução de salários; Fim do projeto que amplia a terceirização; Reajuste digno para os aposentados; Fim do fator previdenciário; Fim dos leilões do petróleo; Mais investimentos em saúde e educação; Transporte público de qualidade e Reforma agrária.

8 Vistas