03/05/2015

BRASIL: NCST/GO: Festa do Trabalhador reúne 40 mil em Goiânia.

 
O evento reuniu 40 mil pessoas na Praça da Feira do Parque Amazônia e confirmou o sucesso das edições anteriores.  Na programação: shows; serviços sociais; camas elásticas e brinquedos infláveis sob o cuidado de recreadores; sorteios de prêmios e atrações culturais. Um mix de lazer e prestação de serviços que confirmou, mais uma vez, a fama que consagrou o tradicional evento como a maior e melhor festa do trabalhador do estado de Goiás e uma das maiores do país.

 
Além de variada programação musical, uma extensa lista de produtos valiosos (tradição na Festa do Trabalhador em Goiânia), foram sorteados:  uma moto zero KM, televisores led, notebooks, aparelhos de som, smartphones e liquidificadores.

 
As novidades, este ano, ficaram por conta da Exposição de Carros Antigos, do 1º Campeonato de Banda Marciais e Fanfarras da Nova Central e a Corrida do Trabalhador, competição que premiou os três primeiros colocados, o atleta mais idoso e o atleta mais jovem entre os competidores.

 
Entre os serviços ofertados gratuitamente aos participantes, destacaram-se: confecção de documento de identidade, CPF, carteira de trabalho, consultas gratuitas de SPC/Serasa, vacinações, cortes de cabelo, aferição de pressão sanguínea etc.
 
Ações ecológicas/ambientais também entraram na programação, dentre elas o plantio de mil mudas árvores nativas às margens da nascente do Rio Cascavel, além de campanhas de prevenção contra a dengue e chikungunya.

 
“Para espantar o mau olhado e garantir, sob as bênçãos divinas, uma festa bem sucedida e harmoniosa”, o padre Everson de Melo, representando o arcebispo metropolitano de Goiânia, Dom Washington Cruz, abençoou os participantes e o grande evento com palavras de fé, harmonia, solidariedade e compaixão.

 
A popularidade do evento deslocou boa parte da imprensa goiana com coberturas ao vivo nos maiores veículos de comunicação do Estado.

 

Luta Sindical
 

O presidente da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil – CSPB, João Domingos Gomes dos Santos, prestigiou o  evento e destacou que, em que pese os permanentes ataques dos poderes constituídos aos direitos trabalhistas, a atual conjuntura desponta como uma grande oportunidade para o movimento sindical brasileiro resgatar seu protagonismo em defesa não somente dos interesses dos trabalhadores, mas também como um forte indutor do desenvolvimento nacional. “É em momentos como esse que temos do dever de elevar a autoestima do trabalhador. Festejamos a capacidade do trabalhador brasileiro de dar a volta por cima, sobretudo em circunstâncias ameaçadoras aos seus interesses. Apesar de vivermos um cenário político e econômico desfavorável, este é o melhor momento para somarmos forças e resgatar a unidade de ação e a capacidade de intervenção da classe trabalhadora em direção a rumos com melhores perspectivas para o País”, disse.
 
Domingos, visivelmente emocionado, lamentou a morte de uma grande liderança sindical dos quadros da Nova Central: o presidente da NCST do Rio Grande do Sul, Valter Sousa . “Hoje, em plena festa de comemoração, em pleno discurso aos trabalhadores, este brilhante companheiro de lutas faleceu. Valter deixou um valioso legado ao movimento sindical do Rio Grande do Sul e de todo o país. Lutou o bom combate com uma disposição ímpar, sempre na defesa intransigente dos interesses dos trabalhadores. Aos familiares deste grande companheiro, minhas sinceras condolências e solidariedade”, lamentou.

Para o presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores do Estado de Goiás – NCST-GO, Mauro Zica, as Medidas Provisórias Mp’s 664 e 665 de iniciativa do executivo federal; a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) Nº 1923 aprovada no Supremo Tribunal Federal – STF, a possibilitar a terceirização nos serviços públicos e o Projeto de Lei – PL 4330, aprovada na Câmara dos Deputados com emendas a permitir a terceirização irrestrita, incluindo a atividade fim, representam um “atentado” ao texto constitucional e ferem, “descaradamente”, cláusulas pétreas da carta magna. “Nós, os trabalhadores, estamos sofrendo a maior ofensiva  da classe patronal e do governo desde o surgimento da CLT. Compreendemos que  a melhor estratégia para superarmos os grandes desafios que temos pela frente, é alcançarmos a unidade de luta, de princípios. Nós entendemos que o fortalecimento da bancada patronal na esfera política, é reflexo de um sistema eleitoral arcaico que acaba por submeter o poder público aos interesses do poder econômico. Precisamos fortalecer o debate em torno de uma Reforma Política a fomentar um novo modelo que contemple os interesses da sociedade. Urge a necessidade de criarmos novas alternativas ao atual sistema de financiamento de campanhas, afim de equilibrar as forças do capital e do trabalho e fortalecer nossa, ainda cambaleante, democracia”, argumentou.
 
Em convergência com João Domingos, Zica defende a necessidade de resgatar a autoestima do trabalhador. O sindicalista garantiu que o empenho  em garantir a realização da Grande Festa do Trabalhador vai permanecer enquanto ele estiver sob o comando da mais forte entidade sindical goiana. “A Festa 1º de Maio já é tradição. A cada edição deste grande evento,  conseguimos alcançar cada vez mais os nossos objetivos e, sobretudo este ano, além de toda a diversão e o lazer oferecido aos trabalhadores, estamos lutando por emprego, justiça social e respeito ao trabalhador”, esclareceu o líder sindical.

 

8 Vistas