06/03/2015

BRASIL: CSPB prestigia Reunião do Conselho de Representantes da Fenapef

4/03/2015

 O secretário-geral da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil – CSPB, Lineu Mazano,  e a 2º secretária da entidade, Marly Bertolino, prestigiaram o evento.

Durante os dois dias de reunião, lideranças  sindicais de entidades filiadas à Fenapef, com representação nos 27 estados do país, formam o Conselho que debate temas de interesse da categoria, entre eles: situação dos aposentados e pensionistas; demandas no Parlamento; contribuição sindical, campanha salarial; sistema eletrônico para consulta direta aos sindicalizados; AGE da Fenapef nos Estados; multa em razão de possível paralisação (greve), entre outros.

Das pautas de interesse dos policiais federais junto ao Poder Legislativo, o presidente da Fenapef, Jones Leal, afirmou que existem mais de 200 proposições na Casa. “Algumas foram arquivadas pelo fim da legislatura. A federação continua articulando com os parlamentares para desarquivar as demandas de interesse da categoria”, enfatiza.

Chamado a fazer um breve depoimento durante o encontro, o secretário-geral da CSPB reforçou os laços de parceria entre a CSPB e a Fenapef. Lineu Mazano aproveitou a ocasião para disponibilizar a estrutura e o corpo técnico da CSPB quanto ao suporte às demandas da Fenapef no Congresso Nacional e nas câmaras bipartites dos servidores junto aos ministérios. “Temos larga experiência nas relações com o poder público. Podemos contribuir com o debate levando palestrantes especialistas em estrutura sindical dos servidores e, também, colaborar no que for preciso em outras instâncias de poder. Posso relatar nossa experiência junto à Câmara Bibartite do Ministério do Trabalho onde discutimos, em especial, a nossa luta pela regulamentação da Convenção 151 da OIT (que trata da organização sindical, direito à greve e negociação coletiva). Nós já conseguimos ratificar a convenção e, até mesmo, conquistamos no executivo federal um Decreto Presidencial, em 2013, internalizando as normas da 151. Infelizmente, na hora de discutir a regulamentação, o governo, desde 2011, colocou na gaveta da Casa Civil a proposta que elaboramos especialmente na questão da negociação coletiva e na regulamentação do direito de greve. O governo, até o momento, não apoiou nem encaminhou as nossas propostas. Essa postura autoritária só aumenta nosso ímpeto em seguir na luta pelos interesses dos servidores”, concluiu Mazano.
 
O Conselho continuará reunido nesta quarta-feira (4) para discutir as estratégias 2015 e demandas no jurídico.
 

Secom/CSPB

8 Vistas