14/12/2014

BRASIL: CSPB debate expansão da estrutura orgânica, metas e projetos

12/12/2014

Segundo o presidente da CSPB, João Domingos, é nessas esferas que as que as principais questões dos servidores são decididas. “Aonde tiver interesse dos servidores públicos nós precisamos ter representantes próprios. É importante salientar que mesmo sendo a segunda maior categoria do país, os servidores têm a menor bancada no Congresso Nacional”, destacou.

 
O líder sindical reforçou que essa baixa representação é herança do modelo patrimonialista do serviço público: “Essa cultura nos tornou refratários na participação política. Essa carência de cultura política e corporativa que permanece nos dias atuais, acomete as organizações sindicais dos servidores. É importante e desejável que tenhamos representantes próprios em todas essas instâncias”.
 
João Domingos alertou para o grande desafio.  “Apoiamos candidaturas próprias que não lograram vitória nas urnas. Isso é resultado de uma falta de planejamento antecipado na elaboração de um projeto estratégico vitorioso. O servidor público é a classe de trabalhadores que mais depende de uma bancada representativa nos legislativos municipais, estaduais e federal. Devemos estar atentos a essa falta de visão e ação estratégica das nossas entidades. É importante compreendermos que os espaços de apoio podem ser ampliados e que muitas entidades de classe podem nos ajudar. Diante deste cenário, lanço um desafio: cada sindicato elegendo um vereador” defendeu.
 
No decorrer dos debates sobre o tema, o conjunto de diretores defendeu que a CSPB não deve trazer o campo político para dentro da entidade. Mas, ao contrário e no caminho inverso, os quadros da entidade devem estimular a confederação a ocupar espaços na esfera política. Em que pese a prioridade, por motivos óbvios, dada ao legislativo, o consenso entre os diretores apoia que todas as instâncias de poder sejam ocupadas por legítimos representantes dos servidores.
 
Na avaliação dos participantes, os sindicatos municipais são os primeiros a sentir a ausência de representantes.

O presidente da Fenafisco, Manoel Isidro, lançou sugestões para a execução de um projeto vitorioso sobre o tema. “Na linha da disputa eleitoral nós não temos como entrar num projeto desses para competir financeiramente. Vem casado a essa proposta a Reforma Política. Criar um projeto que, no mínimo, contemple a proibição de empresas e pessoas jurídicas de investirem em campanhas políticas. Somente assim a disputa eleitoral seguirá para um equilíbrio de forças que contemple uma maior  participação dos trabalhadores e sindicalistas nas esferas de poder”, argumentou.

O secretário-geral da confederação, Lineu Mazano, defendeu que a entidade precisa conquistar votos que extrapolem os interesses dos servidores públicos. “É necessário erguer a bandeira de projetos sociais, com objetivos mais abrangentes e lançar a marca e a força da CSPB em sua característica orgânica de buscar implementação de um estado democrático e social de direito no nosso país”, disse Mazano.

De acordo com João Domingos, outro grande desafio da entidade é definir um perfil político/ideológico de consenso entre as entidades que integram a CSPB.  Estamos vivendo em uma das mais agudas crises do capitalismo. Estamos numa fase em que se faz necessária e já está em curso uma transformação profunda dos modelos estabelecidos atualmente. “Precisamos usar nosso protagonismo sindical e apresentar uma alternativa aos problemas contemporâneos que acometem nossa sociedade”.O presidente da CSPB propôs a elaboração de um documento base para instar a participação dos filiados à formulação de um documento definitivo e de consenso.

Apreciação de novas filiações

A Federação Nacional dos Policias Federais – Fenapef, é mais uma entidade a solicitar filiação à CSPB. Submetida à votação no plenário, a federação teve sua filiação aprovada na reunião do conselho.
 

Reorganização da base orgânica

Nos planos da entidade, a reorganização e a ampliação de sua base orgânica estão entre as prioridades da CSPB.

“Aumentar a base orgânica significa aumentar o número de sindicatos vinculados à CSPB. Precisamos estimular um crescimento vertiginoso do número de sindicatos filiados. Com a consolidação deste objetivo, aumentaremos de maneira significativa o poder político de nossa entidade”, defendeu João Domingos.
 
A Federação Interestadual dos Servidores Públicos Municipais e Estadais – Fesempre, foi citada por João Domingos como modelo de atuação bem sucedida na expansão de sua base orgânica. “Nós queremos multiplicar o modelo de expansão de base executado pela Fesempre em todos os estados. Precisamos fazer uma verdadeira varredura nos sindicatos de servidores públicos do país. O objetivo é que todos os sindicatos de servidores sejam visitados por essa força tarefa”, disse. 

Vitória no Legislativo Federal

Durante a reunião, o diretor de Assuntos Legislativos da CSPB, João Paulo Ribeiro, informou que a PEC 170/12 entrou na pauta de votação da Câmara dos Deputados. A referida proposta, de autoria da deputada Andrea Zito (PSDB-RJ), prevê proventos integrais para os servidores aposentados por invalidez. As informações que chegaram das assessorias e que foram anunciadas durante o encontro, dão conta de que todos os partidos indicaram o voto favorável à aprovação do projeto naquela casa legislativa.

Deliberação alterada

Ao final do encontro, na etapa de deliberações, representantes da região Norte abriram mão de sediar a próxima Reunião da Diretoria Executiva e do Conselho de Representantes da CSPB. Os sindicalistas entenderam ser oportuna casar a próxima reunião com a mobilização dos servidores a ser realizada em Brasília. Os debates levaram ao consenso de que a realização em conjunto de ambas ações da entidade é, do ponto de vista estratégico, mais promissora em termos de resultados. A decisão foi unânime em favor da alteração.  
 
 

6 Vistas